sábado, 6 de setembro de 2014



Uma nova política ou uma sociedade nova?

Em tempos de eleições para presidente, senadores e deputados estaduais e federais, muito se falam em uma nova política para mudar o rumo do nosso país, mas será que é realmente a política que deve mudar?

Entendo que o cenário atual que temos para eleger nossos represantes são escassos (para não dizer nenhum), a sociedade clama por novos políticos, para exercer uma política mais simplificada, voltada para a utilização correta dos recursos públicos, porém ficamos no ostracismo da reclamação infértil de mudança.

A sociedade espera a chegada de um grande líder para salvar o seu povo, portanto vivemos numa utopia que este líder vai chegar, desde que mundo é mundo a história nos mostra que esses líderes esperados nunca vieram, e a sociedade vive na marginalização de uma estrutura de poder que oprime e exclui.

Os cidadãos que compõem a sociedade não querem ter trabalho de sair da sua "zona de conforto" e lutar pelo seu direito (que também é o direito do outro), enquanto isso se chateia e reclama da ineficiência de um governo nas mazelas que todos nós conhecemos.

A sociedade brasileira é composta por 200 milhões de cidadãos, se cada um de nós (dentro da possibilidade e capacidade) trabalharmos em prol do bem comum, seríamos uma sociedade mais participativa nas tomadas de decisões do nosso país.

Vivemos um momento magnífico que é a era da comunicação, a velocidade da internet, as redes sociais, mas não sabemos usar esta poderosa ferramenta a nosso favor.

Temos o poder nas mãos, mas não sabemos usar, no dia em que soubermos usar este poder passaremos a implantar os projetos de leis que visa as benfeitorias para a sociedade de forma (responsável e consciente), as mídias de comunicações passarão a transmitir o que a sociedade precisa, programas construtivos e não de baixa cultura que aliena e assim sucessivamente em outras esferas.

Temos que mudar a realidade, onde nós que somos 200 milhões de cidadãos possam sair dessa escravidão que sustenta uma estrutura de poder (que beneficia poucos), beneficiamento este através de pagamentos de impostos do nosso dinheiro sagrado e suado de muito esforço no trabalho digno,  o nosso dinheiro público (que é sagrado) vai para fins nefastos, onde muitas vidas são ceifadas de forma precoce para manter esta estrutura de poder para uma minoria. 

Até quando seremos omissos com isto? Portanto pouparemos o lobo (os políticos corruptos) e sacrificamos a ovelha (o povo)?